Este enfoque apresenta dois pedagogos com contribuições importantes para o trabalho pedagógico: Maria Montessori e Célestin Freinet. A partir das temáticas abordadas na Interdisciplina “Didática, planejamento e avaliação” e dos pedagogos apresentados neste enfoque, propomos uma análise do planejamento realizado na Interdisciplina “Linguagem e educação”.

OBJETIVOS:

  • Conhecer o trabalho pedagógico de Maria Montessori e Célestin Freinet;
  • Refletir sobre o ato de planejar e o planejamento construído.

Abertura:

     O Movimento da Escola Nova, ao propor uma outra forma de compreender o processo de ensino e aprendizagem, apresentou propostas mais dinâmicas para a organização do espaço escolar, das atividades pedagógicas e dos próprios materiais didáticos utilizados. Dentre os pensadores escolanovistas que se preocuparam com estes aspectos, destacamos Célestin Freinet e Maria Montessori, educadores que estudaremos com maior profundidade nesta unidade temática. Os excertos abaixo representam seus anseios e preocupações com a educação “nova”:

    “A escola já não prepara para a vida, já não serve à vida e está nisso a sua definitiva e radical condenação. Cada vez mais, a formação verdadeira das crianças, sua adaptação ao mundo de hoje e às possibilidades de amanhã se praticam mais ou menos metodicamente fora da escola, pois ela não satisfaz mais a essa formação” (Célestin Freinet – Para uma escola do Povo, 1896).

     “As crianças, movimentando-se, deslocarão mesas e cadeiras, provocando barulho e desordem. Isso, porém, não passa de preconceito, análogo à crença que muitas gerações alimentaram sobre a necessidade de enfaixar os recém-nascidos e encerrar os bebês em caixotes para ajudá-los a ensaiar os primeiros passos; análogo, igualmente, à crença moderna de que, na escola, os bancos devem estar pregados no pavimento. Tudo isto se fundamenta na crença de que a criança deve crescer na imobilidade, e no exótico preconceito de que é necessário manter uma posição especial para que a educação se verifique proveitosa” (Maria Montessori – Pedagogia Científica, 1926)

Leitura 1:
As contribuições de Maria Montessori

    Como vimos anteriormente, Maria Montessori (1870-1952) foi uma admirável educadora italiana que nos deixou importantes contribuições no campo pedagógico. Ao propor um método educacional que partia do concreto para o abstrato, Montessori criou ricos materiais lúdicos para as crianças, nos quais elas poderiam explorar desde as propriedades dos mesmos – tamanho, forma, cor, textura, peso, cheiro, barulho – até as atividades projetadas para desenvolver o raciocino lógico-matemático e a linguagem.
      Muitas das contribuições de Montessori podem ser vistas até hoje em escolas montessorianas e não montessorianas, como é o caso do Material Dourado (link1 e link 2), utilizado na construção da numeração decimal, e das classes, armários e banheiros proporcionais ao tamanho e à idade da criança.

       Clique no link 3 e conheça alguns dos pressupostos teóricos que embasaram os materiais propostos por Montessori. (Link 3)

Leitura 2:
As contribuições de Célestin Freinet

 Enquanto Maria Montessori propunha uma educação mais “individualizada”, centrada na criança, Freinet (1896-1966) se dedicou à educação coletiva, cooperativa e voltada para alunos de meios populares. Preocupado em constituir uma pedagogia social, esse educador via na escola a possibilidade de formar cidadãos para o trabalho livre e criativo. É por isso que suas atividades estão, na maioria das vezes, voltadas para a criação de uma atmosfera laboriosa na escola.
    Uma constante preocupação de Freinet era a aplicação de idéias de uma nova educação, uma pedagogia progressista, em meios populares. Sua realidade de trabalho, em Bar-sur-Loup (link), era bastante pobre, o que dificultava a utilização de materiais “sofisticados”, como os propostos por Montessori.

    “Ele queria encontrar técnicas que pudessem ser utilizadas por todos, numa linha de interesse global da classe, sem causar problemas a nenhuma criança, respeitando o rendimento escolar de cada uma”, nos diz Sampaio (s/d., p.18). Como lema de sua conduta, Freinet baseava-se na afirmação de Decroly, de que “a criança é que nos deve conduzir”.
   Muitas das atividades pedagógicas que fazemos na escola até hoje, como os “cantinhos de atividades”(link 4), aulas-passeio (link 5) , imprensa escolar (link 6) e correspondência inter-escolar” (link 7) são idéias deste pedagogo francês.
Clique em Link 8 e conheça alguns dos pressupostos teóricos que embasaram as atividades propostas por Freinet. (Link 8)

SAMPAIO, Rosa Maria Whitaker Ferreira. Freinet: evolução histórica e atualidades. São Paulo: Scipione, s/d.

   

Atividade: Análise da primeira versão do planejamento da Interdisciplina “Linguagem e Educação”

Vocês estão realizando um planejamento de uma aula na Interdisciplina “Linguagem e Educação”. Planejamento é um tema central para a área da Didática. Por isso, sugerimos uma análise da sua primeira versão do planejamento do ponto de vista do campo da Didática. Para este trabalho, copie primeiramente o seu planejamento realizado e insira-o no mesmo arquivo em que irá responder as perguntas. Para cada questão, você deve redigir um parágrafo de 5 a 10 linhas.

Atenção: O arquivo deve ser denominado “seu nome_sobrenome_analise_planejamento” (exemplo: luciana_piccoli_analise_planejamento).

Poste seu arquivo no Rooda/Webfolio até a seguinte data: 23 de novembro de 2009.

  1. Para o planejamento, você escolheu um tema a ser desenvolvido. Qual é a importância deste tema para os seus alunos, isto é, para o grupo para quem planejou, no dia de hoje? É um tema de que os alunos precisam hoje para resolver algum problema concreto? Para satisfazer alguma curiosidade?

  2. Qual é a relevância do tema escolhido para seus alunos no futuro? Em que o tema vai contribuir para a vida destes alunos?

  3. Qual é o acesso que os seus alunos têm ao tema? O que eles já sabem sobre o tema? Onde o tema aparece no cotidiano dos alunos? O que pode motivá-los a trabalhar com este tema?

  4. De que forma esta atividade planejada se relaciona com outras áreas do conhecimento além da linguagem? Quais são elas?

  5. O tema escolhido poderia ser um tema desencadeador para desenvolver um projeto mais amplo e interdisciplinar? Seguindo as etapas como os projetos são desenvolvidos, o que você teria que fazer antes de explorar o tema da forma prevista? E o que você teria que fazer depois?

  6. Agora, imagine um encontro seu com os pedagogos Célestin Freinet e Maria Montessori. Quais sugestões Freinet daria a você para desenvolver este projeto? E quais ideias teria Maria Montessori?

Voltar